VAP

Viajantes Anglófonos em Portugal - Séculos XVIII e XIX

Visualização de registo

< Voltar ao resultado | Nova pesquisa >

FORRESTER, Joseph James
The Oliveira prize-essay on Portugal with the evidence regarding that country taken before a committee of the House of Commons in May, 1852;

and the author's surveys of the wine-districts of Alto-Douro, as adopted and published by order of the House of Commons. Together with a statistical comparison
Inglaterra, 1853
s.l.
Língua: Inglês

 Outras edições:  Londres, 1860, John Weale
Londres, 1854, John Weale
1858

 Edição 
Local de edição:s.l.
Nome do editor:s.n.
Notas: EDIÇÕES

A obra foi publicada em três edições subsequentes, Maio de 1854, Janeiro de 1856 e Fevereiro de 1860 - a última edição veio a chamar-se "Portugal and its capabilities - being the essay for which 'The Oliveira Prize and Medal' were awarded"].

A 1ª edição foi publicada em 1853, incluindo já algumas alterações relativamente ao ensaio apresentado ao júri do "Oliveira Prize-Essay" em 1852 (V. "Oliveira Prize Essay"). Na revisão do ensaio, Forrester incluiu notas através das quais registou as transformações ocorridas em Portugal desde 1852 até 1853 - data da sua publicação.
Assim: 1ª edição - 1853;
2ª edição - 1854;
3ª edição - 1856;
4ª edição - 1860.

A 2ª edição deste ensaio não sofreu qualquer alteração (em termos de conteúdo) relativamente à 1ª edição, visto que, segundo o autor, o estado da nação portuguesa não havia sofrido qualquer evolução significativa desde a publicação da 1ª edição.
Contudo, no prefácio à 2ª edição, o autor adverte que a situação sócio-económica do país registava já algumas transformações graças aos princípios liberais da reforma constitucional, antevendo-se mesmo o desenvolvimento e progresso do país. (V. História - Monarcas portugueses: D. Fernando):
"but we are happy to feel that this Second Edition may probably be the last we are
called upon to publish - and that the picture we have painted may soon have to be
reversed - the liberal principles of constitutional reform which we have so long
advocated having been responded to already in Portugal itself".

(Prefácio da 2ª edição)

Na edição de 1860, Forrester incluiu uma segunda parte a que chamou "Companion to Portugal and its Capabilities" or "A word or two on Port-wine", estatísticas adicionais do comércio do vinho do Porto desde 1678 a 1860 e documentos relativos aos seus trabalhos topográficos. Preocupou-se em actualizar a lista das suas publicações e das honras que lhe foram conferidas, bem como em apresentar uma reavaliação do estado do país, que considera ter sofrido mudanças positivas:

"Portugal is at peace with itself and with all the world. My descriptions of by gone-times bear no comparaison with the actual state of the country".
(Prefácio da 2ª parte do ensaio - edição de 1860)

"it is with the greatest satisfaction that I am able to record the adoption of all my suggestions by the representative of the Portuguese nation".
(p. 4, 2ª parte do ensaio - edição de 1860)

[Forrester parece "medir" o desenvolvimento de Portugal de acordo com as relações comerciais entre Portugal e a Grã-Bretanha]. ("V. One or two words about Port-wine")
 Notas e informações 
 Referência 
Cota:S.A. 3351 V.
 Autor 
Autor:FORRESTER, Joseph James
Datas autor:1809-1861

 Notas gerais 

ADVERTISEMENT

A Premium of Fifty Guineas for an ESSAY ON PORTUGAL, in connection with the
Objects of the Great Exhibition, offered by Benjamin Oliveira, Esq., F.R.S. (p. V)

[Benjamin Oliveira, comerciante inglês de descendência portuguesa, viveu alguns anos em Portugal, onde recebeu educação e formação no âmbito dos serviços diplomáticos. Em Inglaterra foi membro do Parlamento de 1852 a 1865, membro do Partido Liberal Independente na House of Commons, bem como membro da Society of Antiquaries e do Royal Society em Londres. A sua descendência e estadia em Portugal levaram-no a sentir uma afinidade com o país, o que o levou à oferta do Prémio, sendo também um defensor do comércio livre e da redução das taxas relativamente aos vinhos.

O "Oliveira-Prize Essay" visava promover as relações comerciais entre Portugal e a Grã-Bretanha, abrindo caminho a um novo Tratado baseado no comércio-livre.

O "Ensaio", que deveria ser escrito num período limite de seis meses, devia abordar os seguintes assuntos:
"The Capabilities of Portugal for Consuming the Manufactures of Great Britain -
Impediments thereto arising from the Restrictive Policy of the Government of Lisbon -
Treaty Engagements - Want of Roads and Internal Communications - Deficiency of
Information in the Country generally upon Commercial and Manufacturing - questions, or
other causes.
The Effect of the present High Duties on the Wines of Portugal imported into Great-
Britain upon the Consumption of those Wines, and the Probable Effect that would result
from a Reduction of Duty - General Remarks upon the Agricultural Produce of Portugal -
Varieties of her Wines, Fruits, and Cereal Produce, their Cultivation, Cost, and Qualities.
The Advantages to be obtained in a Commercial Point of View by a Reciprocal
Reduction of Import Duties.
The Effect of Railroads in the Kingdom of Portugal as means of developing the
resources of the Country, and increasing the Demand for her Productions. ............. p. V

O 1º Prémio foi ganho por Joseph James Forrester (V. Biografia) com o seu ensaio "Portugal and its Capabilities", que, mais tarde, se veio a chamar "Portugal and its capabilities: being the Essay for which 'The Oliveira Prize and Medal' were awarded". O prémio foi ganho em 1852.


OPINIÕES DA IMPRENSA

"It cannot fail to become, in a very large degree, a favourite of the wine-bibbing public. One quality it certainly has to recommend it to that favour, namely, its originality. It is, perhaps, the first, as it undoubtedly is the only complete work on the subject to which it refers, ever published in this country".
"Observer", November 13, 1853

"Mr. Forrester's book will be a valuable assistance to all who, like himself, are seized with a desire to become acquanted with the resources of the country, and the opportunities which they hold out for the advantageous employment of British capital".
"Globe", November, 22, 1853

"... it is the elaborate production of a mind thoroughly acquainted with the subject, viewing it without the bias of party-feeling, and with a practical English eye to finding a remedy for the diseases that exist".
"Cheltenham Journal", November 26, 1853

"... a valuable contribution to that mercantile literature which treats of home and foreign markets, and shows how this interchange can be made most conducive to mutual interests".
"Dispatch", November 27, 1853

"Mr. Forrester has done good service to the cause of national progress. He describes with a vigorous pen the political and social causes which have brought down a once gigantic power to its present inert and almost helpless condition. He does not skim over the mere surface of the question. He probes the disease to the bottom, and, like a skilful operator, prescribes the only remedy which can effect a cure and restore a healthy action to the whole body.
"Liverpool Albion", January 30, 1854

[Citações in Joseph James Forrester, "The Prize Essay on Portugal (...)", 1854]


ÍNDICE

* Chapter I - The Portuguese as a people
I - The nobility and higher classes generally .................................................................. p. 1
II - The Middle classes .................................................................................................... p. 3
III - The so-termed lower classes ................................................................................... p. 5
* Chapter II - Portugal considered in connection with the objects of the Great Exhibition of all nations in 1851 ............................................................................................................................................... p. 7
* Chapter III - General remarks on the manufactures of Portugal ................................................... p. 14
* Chapter IV - The capabilities of Portugal for consuming the manufactures of Great Britain ....... p. 21
* Chapter V - Impediments arising from the restrictive policy of the Portuguese government ....... p. 26
* Chapter VI - Treaty engagements ................................................................................................ p. 28
* Chapter VII - Want of roads and internal communications (...) .................................................... p. 32
Portugal: population in 1850 (...) - Mortality in the U.K.: in Portugal ........................ p. 44
* Chapter VIII - Deficiency of information in the country, generally upon commercial and manufacturing questions, or other causes ............................................................................................................ p. 46
* Chapter IX - The effect of the present high duties on the wines of Portugal, and the probable effect that would result from a reduction of duty ..................................................................................... p. 50
* Chapter X
Part I - General remarks on the agricultural produce and resources of Portugal ........ p. 62
Part II - Agriculture - continued:
I - Cultivation of the vine ..................................................................................... p. 74
II - Mode of making the wines ............................................................................. p. 77
Part III - Agriculture - continued:
I - Province of Entre-Douro and Minho ................................................................. p. 91
II - The wine-districts of the Alto-Douro (province of Traz-os-Montes and Beira
Alta) ........................................................................................................... p. 94
III - Province of Traz-os-Montes ......................................................................... p. 99
IV - Province of Alem-Tejo ................................................................................. p. 101
V - Kingdom of Algarve ..................................................................................... p. 103
VI - Province of Beira ......................................................................................... p. 108
VII - Province of Estremadura ........................................................................... p. 109
Part IV - Agriculture - continued:
The wine-company Monopoly ....................................................................... p. 113
* Chapter XI - The climate of Portugal - varieties of her wines, fruits, and cereal production - their cultivation, cost, and qualities ......................................................................................................... p. 119
* Chapter XII - The advantages to be obtained in a commercial point of view, by a reciprocal reduction of import duties .................................................................................................................................... p. 122
* Chapter VIII - The effect of railroads in Portugal as a means of developing the resources of the country and increasing the demand for her production ............................................................................... p. 130
* Chapter XIV - The bearing of these enquiries upon the principles of free-trade ......................... p. 134
* Chapter XV - The drawing together more closely the friendly relations between Great Britain and her most ancient ally .............................................................................................................................. p. 138
* Chapter XVI - The Portuguese fisheries ........................................................................................ p. 141
* Chapter XVII - Conclusion ............................................................................................................. p. 147

Statisticks of Great Britain and Portugal ......................................................................................... p. 151
Compared

APPENDIX

- Minutes of Evidence on Import Duties on wines, given before a select Committe of the House of Commons, by Mr. J. J. Forrester (...). ............................................................................................... p. 183
- List of Mr. Forrester's publications ................................................................................................ p. 257
- Honours conferred on the Author of the Essay ............................................................................ p. 258
- Documents relating to Mr. Forrester's topographical works - the wine-districts of the Alto-Douro, and River Douro (...) ................................................................................................................................. p. 259
- Continuation of the documents relating to the Improvement of the Navigation of the River Douro, from its mouth to the Barca of Vilvestre in Spain; and to the maps of that river, and of the wine-district of the Alto-Douro, by Joseph James Forrester (...). .................................................................................. p. 269
- Memoir of Bejamin Oliveira, Esq., M. P. (...). ................................................................................. p. 280

 Notas sobre o autor 

BIOGRAFIA

Joseph James Forrester, nascido em Hull, Yorkshire, estabeleceu-se no Porto em 1831, dedicando-se ao comércio e exportação de vinho do Porto. Tornou-se um membro influente do meio económico e sócio-cultural do Porto.
A ligação da família Forrester a Portugal existia já desde 1803, quando James Forrester, seu tio, veio para o Porto, onde se tornou em 1806 sócio da Companion Offley Hesketh. Companhia à qual se juntou mais tarde J. J. Forrester, formando assim a Offley Cramp & Forrester, que viria mais tarde, após a saída de Forrester, em 1851, a ser representada pelos seus filhos, tornando-se, pois, na Offley Forrester e posteriormente na, ainda existente e conhecida, Forrester & Co.
Dedicou-se a Portugal assim como ao seu talento artístico, revelando-se como cartógrafo, artista e escritor, assim como merecedor de honras entre as quais a de Barão de Portugal - título que lhe foi concedido em 1855 pelo Príncipe Regente D. Fernando, como reconhecimento pelos serviços prestados à nação, em especial ao comércio e à região do Douro, bem como da sua estima e dedicação relativamente ao país de adopção.

* Alguns dos seus trabalhos artísticos:

1854 - pintura "Merchants in Rua Nova dos Ingleses" [segundo John Delaforce, "an extraordinary achievement to be able to portray an accurate likeness of so many figures, each of which is on such a small scale (...) not only was it an outstanding work of art but also a record of the Port trade personalities of the period"]. .... V. Referência bibliográfica

1835 - "Portuguese scenery with Illustrative notes" [um livro de viagens destinado aos turistas no qual incluiu um conjunto de dez desenhos da paisagem portuense e dos seus arredores].

1842 - Trabalho fotográfico realçando as paisagens, os retratos e os aspectos do quotidiano.

* Alguns dos seus trabalhos científicos e literários:

1844 - "One or two words about Port wine" [com a publicação deste folheto, inicialmente anónimo, Forrester tornou-se numa figura polémica do meio comercial e até em 'persona non grata' para alguns membros da feitoria inglesa]. .... V. "One or two words about Port-Wine"

1845 - Mapa "The Portuguese Douro and the Adjacent Country with so much of the river as can be made navigable in Spain" [foi o mapa mais importante, pois contribuiu para a melhoria da navegação do rio Douro e para o comércio vinícola de toda a região].

1854 - "Portugal and its capabilities" [havia ganho em 1852 o 1º Prémio do "Oliveira Prize Essay"].
.... V. "The Prize Essay on Portugal: a obra"

1854 - "On the Vine-Disease in the Port Wine Districts of Alto-Douro in April 1854, with a supplementary note on the proposed remedies for its eradication" [neste relatório Forrester incluiu um mapa do distrito vinícola em que descreve a evolução da doença nas diferentes áreas].

[Para mais informações biográficas, bem como informações e referências ao trabalho desenvolvido pelo autor ver DELAFORCE, John, "Joseph James Forrester, Baron of Portugal", s.l., Christie's wine publications, 1992].

 Sumário/Resumo 
RESUMO

Neste ensaio - resultado da observação directa e de averiguações junto às autoridades portuguesas - o autor reuniu uma vasta quantidade de informações útil e valiosa, com o objectivo de apresentar uma análise de todos os aspectos relativos à descrição e às condições do país:
- os portugueses enquanto povo e a distinção entre as classes sociais;
- a actividade industrial, comercial e agrícola, bem como os seus recursos;
- a capacidade de importações, assim como o efeito nocivo das taxas elevadas;
- os transportes e as comunicações;
- o clima;
- as pescas;
- as relações entre a Grã-Bretanha e Portugal. [através deste trabalho o autor demonstrou um profundo conhecimento do país e do seu povo].

Forrester descreve as causas político-sociais que contribuíram para o desmoronamento de uma nação outrora poderosa.
Pretende, com isto:
- informar e consciencializar os portugueses àcerca do estado da nação;
- demonstrar o potencial e a importância da nação portuguesa, despertando, assim, toda a actividade adormecida;
- contribuir para o seu progresso, reabilitando Portugal aos olhos dos estrangeiros e desenvolvendo-lhe o seu estatuto de país empreendedor e honrado - estatuto que outrora gozou.

Forrester apresenta ainda os seus trabalhos àcerca dos distritos vinícolas de Portugal, dados estatísticos corporativos dos recursos e comércio de Portugal e da Grã-Bretanha. Apesar do considerável volume de dados estatísticos, o ensaio está escrito num estilo fluente e agradável.

 Palavras-chave 

Acontecimentos
Grande exposição de 1851;

Agricultura
Cultivo do arroz; Falta de inovação; Principais produções; Sistema agrícola;

Alimentação
Burguesia; em Trás-os-Montes e na Beira Alta; Generalidades; População rural; no Algarve; Trabalhadores das vinhas;

Arte e Monumentos


Classes Sociais
«Ancienne noblesse»; Burguesia; «Noblesse moderne»; Nobreza; Títulos nobiliárquicos;

Clima
de Portugal; Trás-os-Montes e Beira Alta;

Costumes
Lazer / convívio da burguesia;

Economia
Contrabando; Economia; Indústria; Pescas; Situação sócio-económica;

Estradas
Generalidades;

Geografia
Rio Mondego; Rios;

História de Portugal
Arqueologia – Portugal: vestígios romanos e árabes; D. Fernando; D. Miguel – guerra civil; D. Maria II; D. Dinis;

Língua
Provérbios;

Meios de transporte
Vias de comunicação - portos;

Minas
Actividade mineira;

Mulheres
Transporte do peixe;

População
Crianças; Ferreira Pinto Bastos; População rural; Portuguesa;

Portugueses
Generalidades;

Povoações
Aldeias: descrição do seu estado;

Profissões
Pescadores;

Províncias
Algarve; Alentejo; Beira; entre Douro e Minho; Estremadura; Trás-os-Montes, Beira Alta e Alto Douro; Trás-os-Montes;

Relações Portugal - Inglaterra
Generalidades; Tratados entre Portugal e a Grã-Bretanha;

Vestuário
Burguesia;

Vinicultura
Companhia geral da agricultura das vinha do Alto Douro; “One or two words about Port-wine”; Produção de vinho;

 

< Voltar ao resultado | Nova pesquisa >

 

 

 

^ Topo
© CETAPS, 2017
Avenida de Berna, 26-C, 1069-061 Lisboa