online

 

Número 5
EDITORIAL
RESUMOS / ABSTRACTS
ARTIGOS


EDIÇÕES ANTERIORES
Todos os números >>

LINKS
Revistas Internacionais
Normas para Autores

DIRECTOR / EXECUTIVE EDITOR

José Mattoso
REDACÇÃO / EDITORS
Pedro Chambel;
Luís Filipe Oliveira;
Adelaide Miranda
ASSISTENTE DE REDACÇÃO / EDITORIAL ASSISTENT
Maria Coutinho
CONSELHO EDITORIAL /
REVIEW EDITORS

Maria de Jesus Viguera; Joseph Morsel; Stephane Boisselier; Patrick Geary; Maria João Branco; Mário Barroca; José Meirinhos; Gerardo Boto Varela; García de Cortázar; Hilário Franco; Teresa Amado; Maria Helena Coelho; Cláudio Torres; Ana Maria Rodrigues; A. Resende; Carvalho Homem
WEB DESIGNER
Ana Pacheco
CONTACTO

Instituto de Estudos Medievais
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - UNL
Av. Berna 26 C, 1069-061 Lisboa
medievalista@fcsh.unl.pt

ISSN 1646-740X

ano 4  ● NÚMERO 5  2008
ISSN 1646-740X
 

[IMPRIMIR VERSÃO PDF]
[COMENTAR ARTIGO]
◄◄ [INDICE]

Resumos abstracts

A tese do "modelo doméstico" segundo A Dama Pé de Cabra de Herculano ou a forma humana da besta [VER TEXTO INTEGRAL]
Ana Paiva Morais
Alexandre Herculano's reference to the lack of 'domestic models' medievalists have to face, at the time he is developing his work as a historian, and his literary project as a means for solving this problem is the main focus of this article. I argue that the difference between humanity and animality that underlyes medieval narratives such as the courtly romance and the short tale – taking Calogrenant's narrative in Chrétien de Troyes' Le Chavalier au Lion as an example - is deeply connected with the search for human identity in medieval literature and that Herculano in his A Dama Pé de Cabra draws on this issue to develop his own ideas about national short tales and legends as historically relevant and legitimizing narratives. By analyzing the ways in which characters are split between fiction and history in A Dama Pé de Cabra, focusing specifically on literary techniques, I aim to point out Herculano's views on how literary models may suit the work of the historian.
Este artigo parte da referência por Alexandre Herculano à falta de 'modelos domésticos' com que se depara o medievalista, de um modo geral, proferida num momento em que o autor tem em curso o desenvolvimento do seu projecto de historiador, e procura mostrar como o desenvolvimento de um projecto literário constituiu uma modo de suprir aquela falta. Sugere-se que a diferença entre a humanidade e a animalidade que está subjacente a algumas narrativas medievais como o romance cortês e o conto - tomando como exemplo a narrativa de Calogrenant no romance de Chrétien de Troyes Le Chevalier au Lyon – está intimamente ligada à busca da identidade humana na literatura medieval, e que Herculano em A Dama Pé de Cabra se baseia neste fundo cultural para desenvolver a sua própria tese sobre a relevância dos contos e lendas nacionais como narrativas historicamente relevantes e legitimadoras. Por meio de uma análise do modo como as personagens se dividem entre a história e a ficção em A Dama Pé de Cabra, incidindo especificamente sobre técnicas literárias, o objectivo deste artigo é sublinhar o modo como as perspectivas de Herculano sobre os modelos literários pôde servir o seu projecto de historiador.

Algures entre o Inferno e o Céu.
Trajectórias e mutações da ficção segundo Merlim
[VER TEXTO INTEGRAL]
Somewhere between Heaven and Hell
Trajectories and mutations of fiction, according to Merlin

Carlos Clamote Carreto
Emerging in the confluence of myth and fiction, Merlin rises unquestionably as one of the most persistent and enigmatic figures of all the Western imaginary. Thus his intense magnetism and significant power, thus his resilience to interpretation.
It is not easy to follow the trail of this character, who is, simultaneous and alternatively, a King and a fool, an old man and an eternal child, a savage and a prophet, an angel and a demon, a poet and a chronicler, the very emblem of excess of meaning and of foundational bareness of origins. It is not easy to trace him along his vast and complex literary tradition, especially because the essence of Merlin resides precisely in anamorphosis and transfiguration which lead to a constant reconfiguration of his poetic, symbolic and ideological identity. Whilst a challenge to representation itself, could Merlin and his palimpsest-body become a symbol of the paradoxes and mutations inherent to medieval writing during the 12 th and 13 th centuries, as well as the metaphor of perpetual change in the Arthurian fiction, which will need to go on searching for its proper place in the Universe, somewhere between Heaven and Earth?
Emergindo na confluência do mito e da ideologia, Merlim surge inquestionavelmente como uma das figuras mais persistentes e enigmáticas do imaginário ocidental: daí o seu imenso magnetismo e poder de significação; daí, também, a sua resistência à interpretação. Não é fácil seguir os rastos desta personagem que é, simultânea e alternadamente, rei e louco, velho e eterna criança, homem selvagem e profeta, anjo e demónio, poeta e cronista, emblema do excesso de sentido e do vazio fundador das origens, ao longo de uma tradição literária vasta e complexa, já que a essência de Merlim reside precisamente na anamorfose e na transfiguração que conduzem a uma constante reconfiguração da sua identidade poética, simbólica e ideológica. Enquanto desafio à própria representação, poderá Merlim e o seu corpo-palimpsesto tornar-se emblema dos paradoxos e mutações inerentes à escrita medieval entre os séculos XII e XIII e metaforizar o devir da ficção arturiana que, algures entre o Inferno e o Céu, continua incessantemente em busca do seu lugar no universo?


Alice of Antioch and the rebellion against Fulk of Anjou [VER TEXTO INTEGRAL]
Adriana R. de Almeida
This article focuses on the political turmoil in the Latin East in the first half of the 12th century. It means to illustrate how the description William of Tyre left us of Alice, second daughter of king Baldwin II of Jerusalem, as a woman who betrayed her family, her place and her sex, can also be read to its contrary, and even help to identify this woman as a fundamental key in the opposition of some of the established nobility to the politics of the new king, Fulk of Anjou.
Este artigo incide sobre a agitação política que se fez sentir, durante a primeira metade do século XII, nos Estados Latinos do Oriente. Pretende-se mostrar que a descrição que Guilherme de Tiro nos deixou da princesa Alice de Antioquia, a segunda filha do rei Balduíno de Jerusalém, como uma mulher que traiu a família, a sua condição e o seu género, também pode ser interpretada de forma inversa, e mesmo ajudar a identificar esta mulher como elemento fundamental na oposição da nobreza instalada às políticas do novo rei, Fulque de Anjou.

A representação medieval dos tempos troianos na versão galega da Crónica Troiana de Afonso XI [VER TEXTO INTEGRAL]
The Medival representation of the Trojan Era in the Galician version of the Trojan Chronicle by Alfonso XI
Pedro Chambel
During the XII century, in Northern France, the novels in verse of the Ancient Cycle of emerged, presenting themes related with the Classic Antiquity but designed according to the epoch audience, which can be seen by the insertion of the amour courtois in the narratives. Therefore, the Ancient World was depicted with several references to the Medieval period, resulting in several anachronisms. Using a galician text, a translation of the prose version by Alfonso XI who wrote it from the French original by Benoit de Saint Maur, the Roman de Troie, will be analyse, referring an episode in the Trojan Chronicle, how the Trojan era was represented in a medieval text.
No século XII, no Norte de França, surgiram os denominados romances em verso do Ciclo Antigo que apresentavam temáticas relacionadas com a Antiguidade Clássica, mas elaboradas ao gosto do público da época, como é o caso da introdução do amor cortês nas narrativas. Deste modo, o Mundo Antigo surgia relatado com múltiplas referências à época medieval, apresentando diversos anacronismos. A partir de um texto galego, tradução da versão em prosa  de Afonso XI do original francês de Benoit de Saint Maur, o Roman de Troie, ir-se-á analisar, a propósito de um episodio relatado na Crónica Troiana, como são representados num texto medieval os tempos troianos.

A Memória Social para o futuro:
História, alteridade e cidadania
[VER TEXTO INTEGRAL]
Judite de Freitas
The aim of the present study is to concisely reflect on the social role of History in contemporary times. In the first part of our study, with the concept of ‘historic literacy’, we have attempted to establish a relationship between history, understood as an area of knowledge that allows awareness of life experiences in different social contexts, alterity and citizenship (social attitude). In the second part, we have analysed and elaborated on the concept of ‘Middle Ages’, based on a reassessment of the state-of-the-art lines of research and medieval historiographic production, in an attempt to foreground the pertinence of knowledge during the Middle Ages to the understanding of the multiple dimensions of modern society.
O ensaio aqui apresentado procede a uma concisa reflexão sobre o papel social da História na actualidade. Na primeira parte do nosso trabalho ao perspectivarmos o conceito de «literacia histórica» procurámos estabelecer uma relação entre a história, enquanto área do saber passível de proporcionar o conhecimento de experiências de vida em contextos sociais diversos, a alteridade e a cidadania (atitude social). Na segunda parte procedemos a uma problematização do conceito de «Idade Média», tendo por base um conspecto das actuais linhas de investigação e de produção historiográfica medieval, procurando evidenciar a pertinência do conhecimento da Idade Média na compreensão das múltiplas dimensões da hodierna sociedade.

Cruzada e Reconquista:
as duas faces da conquista de Lisboa em 1147
[VER TEXTO INTEGRAL]
Marcel Paiva
This work approaches a few elements of the political and ideological discourse that legitimized both the Iberian Reconquista and the Crusades. With the informations provided by the De Expugnatione Lyxbonensi, letter sent to Osbert de Bawdsey by an anonymous, that narrates the conquest of Lisbon in 1147, it became possible to observe the confluence of discourses that surround these two Christendom’s expansive movements in the 12th century, the Iberian and the Oriental. That discoursive confluence was allowed and materialized, in an exemplary way, by the priviledged scenario of the conquest of Lisbon by Afonso Henriques, that wisely used the dynamics of the 2nd Crusade in order to obtain military help from Northern Europe forces. Thus, it was also possible with this work to have a small glimpse over the importance that this military achievement had for the Reconquista and the Crusades, being the De Expugnatione Lyxbonensi a small, but relevant expression of aggregation in a heterogeneous Christendom.
Este trabalho aborda, de forma sucinta, alguns elementos do discurso político e ideológico que legitimava não apenas a Reconquista Cristã da Península Ibérica, mas as próprias Cruzadas. Utilizando a informação presente na De Expugnatione Lyxbonensi , epístola remetida a Osbert de Bawdsey que narra a conquista de Lisboa em 1147, foi possível observar a confluência dos discursos que enquadram estes dois movimentos de expansão na Cristandade, o peninsular e o oriental. Essa confluência discursiva foi permitida, facilitada e materializada, de forma exemplar, pelo cenário privilegiado que constituiu a conquista da cidade de Lisboa por Afonso Henriques, que aproveitou a mobilização do Norte da Europa para a 2ª Cruzada para obter auxílio militar. Foi possível igualmente, através deste trabalho, vislumbrar a importância com que o sucesso atingido neste empreendimento bélico se revestiu para a dinamização das Cruzadas e da Reconquista, na medida em que a De Expugnatione Lyxbonensi constituiu uma pequena, mas relevante expressão de um elemento agregador de uma Cristandade heterogénea.

[TOPO] [INDICE] [IMPRIMIR VERSÃO PDF] [COMENTAR ARTIGO]